Bárujárnshús ( Casas coloridas em chapa ondulada )

Durante o meio do século XIX, o ferro ondulado foi utilizado como material de construção, em todo o mundo. 

Na Islândia, a chapa ondulada chegou na década de 1860, de acordo com Adam Moremont e Simon Holloway no livro, ( Corrugated Iron –  Building on the Frontier), os navios que viajavam para o norte da Grã-Bretanha para comprar ovelhas, vinham carregados com ferro ondulado para vender em Reykjavik, onde rapidamente ficou claro que o material era adequado para a ilha vulcânica e isolada com materiais de construção locais limitados. 

Segundo a arquitectura vernacular Islandesa, são edifícios emoldurados em madeira, dois ou três pisos com telhados inclinados,  desenvolvidos em resposta tanto ao clima, como a uma falta histórica de madeira para a construção, que pode ser rastreada até à ocupação Viking. Eles dizimaram as antigas antigas florestas, usando a madeira na construção naval e permitiram que ovelhas sobrecarregassem a terra impedindo a regeneração das florestas.

Quando fortemente isolado, o ferro ondulado galvanizado sobre uma estrutura de madeira, resultou em um material de construção altamente eficaz e duradouro no clima islandês severo.

As casas coloridas de ferro ondulado, chamadas bárujárnshús, são encontradas em sua maior concentração em torno da capital Reykjavík, onde o uso extensivo foi feito de ferro ondulado na reconstrução da cidade após um incêndio devastador em 1915. 

Bæjarins Beztu Pylsur ( O melhor cachorro quente do mundo )

A cadeia foi criada em 1937, quando o primeiro suporte foi instalado na rua Austurstræti, no centro da cidade, pelo avô do actual dono Guðrún Kristmundsdóttir. Na década de 1960, moveu-se para Tryggvagata, em frente ao Harpa Concert Hall, onde é o actual ponto principal e por lá permanece hoje. 

Em agosto de 2004, o stand foi visitado pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, enquanto visitava a Islândia para uma conferência da UNICEF. Esta aparência de celebridades levou a um aumento de popularidade para o stand, já que começou a aparecer em guias de turismo na Islândia.

Em agosto de 2006, o jornal britânico The Guardian selecionou Bæjarins Beztu como o melhor cachorro-quente na Europa.

Hoje, a cadeia é popular entre turistas e habitantes locais. Existem três locais adicionais na cidade, que juntos, vendem mais de mil cachorros quentes em um dia atarefado.

Close Menu