gullfossjpg

Gulfoss

O amplo rio Ölfusá corre para o sul e, a cerca de um quilometro acima das quedas, vira bruscamente para a direita e flui para dentro de uma ampla “escada” de três passos curvada e depois mergulha abruptamente em duas etapas 11 metros, mais  21 metros em uma fenda de 32 metros de profundidade. A fenda, tem cerca de 20 metros de largura e 2,5 km de comprimento, que se estende perpendicular ao fluxo do rio. À medida que alguém se aproxima das quedas, a borda é obstruída da vista, de modo que parece que o rio simplesmente desaparece na terra.

Durante a primeira metade do século 20 e alguns anos até o final do século 20, houve muita especulação sobre o uso de Gullfoss para gerar electricidade. Durante este período,  foi alugada indirectamente por seus donos, Tómas Tómasson e Halldór Halldórsson, a investidores estrangeiros. No entanto, as tentativas dos investidores não tiveram êxito, em parte devido à falta de dinheiro. A Gullfoss foi posteriormente vendida para o estado da Islândia, e agora está protegida.

Diferentes versões porque a central nunca foi construida devido ao activismo de Sigríður Tómasdóttir:

Sigríður Tómasdóttir, a filha de Tómas Tómasson, estava determinada a preservar a condição da Gullfoss,e até ameaçou se atirar da mesma, evitando assim a construção da central. 

Para tornar sua ameaça credivel, ela foi descalça em uma marcha de protesto de Gullfoss para Reykjavik. Naqueles dias, as estradas não eram pavimentadas e quando ela chegou depois de 120 quilómetros, os seus pés estavam a sangrar ela estava muito mal.
As pessoas acreditaram na sua historia e a central em Gullfoss nunca foi construída. 

Close Menu