Fogueiras

Um dos destaques da véspera de Ano Novo na Islândia são as fogueiras. No geral, existem cerca de 90 fogueiras diferentes organizadas em torno da Islândia na véspera de Ano Novo. Praticamente cada cidade e aldeia tem pelo menos uma fogueira, onde os locais se reúnem para receberem o ano novo.

Estas fogueiras são feitas de restos de paletes que são guardadas durante a altura do Natal.

Acredita-se que as fogueiras tenham uma origem pagã. 

O povo Islandesa volta a fazer estas fogueiras para celebrar o Þrettándinn, que é um feriado islandês,  no dia 6 de Janeiro.  Isso marca o fecho oficial da temporada de Natal. Literalmente traduzido significa “o décimo terceiro”

O  Þrettándinn

Este é o dia em que muitas pessoas se livram da suas árvores de natal. É também a noite em que o último dos rapazes de Yule, Kertasníkir, volta para a sua casa nas montanhas, reaparecendo apenas para o próximo Natal. Os trajes de Elf e troll abundarão enquanto todos se dirigem para a fogueira mais próxima para celebrar a luz na escuridão do meio do inverno.

Os Yuletide-lads, Yule Lads, ou Yulemen ( jólasveinarnir ou jólasveinar), são figuras da mitologia islandesa, retratadas como brincalhões maliciosos, mas que nos tempos modernos também foram retratados como assumindo um papel mais benevolente semelhante ao Pai Natal. Seu número variou ao longo do tempo, mas actualmente são considerados treze. As crianças deixam os sapatos no parapeito das janelas e nas treze noites anteriores ao Natal (Yule), cada um dos Yuletide deixa presentes ou batatas podres nos sapatos, isto dependendo do comportamento da criança durante todo o ano.

Os Yuletide-lads são os filhos de Grýla e o seu marido, Leppalúði. Grýla é grande e assustadora, com um enorme apetite por carne de crianças travessas, conta-se que estas crianças são colocandas em uma panela grande e transformada em ensopado. Ela tem a capacidade de detectar crianças que se portão mal durante todo o ano. Durante a época do Natal, ela deixa a sua caverna e desce das montanhas para procurar pela sua refeição. O seu prato favorito é um guisado de crianças impertinentes, pelas quais ela tem um apetite insaciável. De acordo com a lenda, nunca há escassez de alimentos para a Gryla.

De acordo com o lenda, Grýla casou-se três vezes. O seu terceiro marido, Leppalúði, vive com ela na sua caverna nos campos de lava de Dimmuborgir, com um grande gato preto de Yule e seus filhos. À medida que o Natal se aproxima, Grýla começa a procurar meninos e meninas mal comportados.

A lenda de Grýla apareceu em muitas histórias, poemas, músicas e peças na Islândia e às vezes Grýla morre no final da história.

O gato de natal ( Gato de  Yule )
A lenda afirma que todos os Icelandes deve receber roupa nova  no Natal ou então vai estar em perigo de vida. Um enorme gato preto ronda a Islândia na véspera de Natal e come a qualquer pessoa, que não siga esta regra.

Este felino desagradável é o animal de estimação da gigante Grýla e é conhecido como o gato do Natal.

Lista dos Yuletide das suas travessuras.

Mapa das fogueiras retirado de um jornal local.
Close Menu